Por que os irmãos são tão diferentes?

As irmãs iranianas Laleh e Ladan Bijani tinham exatamente os mesmos genes e viveram juntas todas as experiências da vida.

Nascidas gêmeas idênticas e siamesas, ligadas pela cabeça, permaneceram 29 anos grudadas.

Morreram em 2003, na cirurgia que as separou.

Mesmo sabendo dos riscos da operação, elas toparam o desafio só pela oportunidade de viver separadas.

“Somos dois indivíduos completamente distintos que estão grudados um no outro. Temos visões de mundo diferentes, estilos de vida diferentes e pensamos de modo muito diferente sobre os assuntos.” – disse Ladan em uma entrevista antes da cirurgia.

Ladan e Laleh são um exemplo de que nem o ambiente nem a biologia conseguem explicar completamente a personalidade.

O caso delas mostra que o lar é um fator importante para fazer irmãos se diferenciar entre si.

Uma pesquisa da Universidade de Minnesota descobriu que gêmeos idênticos são mais parecidos quando criados em ambientes separados.

Você já deve ter ouvido histórias de gêmeos separados no nascimento que se reencontram 40 anos depois e descobrem que ambos compraram carros azuis, adoram feijoada e jogam xadrez muito bem.

Longe um do outro, eles seguiram iguais.

Muita gente explica a personalidade de alguém pela ordem de nascimento ou pela diferença de idade entre os irmãos.

O senso comum diz que os primôgenitos são mais independentes; os do meio, rebeldes; os caçulas, precoces.

O historiador Frank Sulloway, da Universidade da Califórnia, tem estudos nessa linha.

Ele analisou a ordem de nascimento de mais de 6 mil personalidades mundiais e concluiu que os filhos mais velhos são mais conservadores, já os mais novos são os criativos e revolucionários.

Estatisticamente é 18 vezes mais fácil achar um revolucionário caçula que um primogênito.

A pesquisa mostra não só um padrão de comportamento, mas contribui para o que se chama de Teoria dos Nichos, tese mais aceita para explicar a diferença entre irmãos.

Em casa, a criança procura desempenhar um papel diferente dos irmãos mais velhos.

Se um irmão se destaca como esportista, ela pode se apegar mais aos livros.

Se um é mais apegado à mãe, a filha do meio pode ser mais independente.

Nas últimas décadas, o debate ganhou o nome de nature x nurture: no primeiro time, está quem coloca na natureza a raiz da nossa personalidade,

No segundo, quem acha que o ambiente é o grande definidor.

Hoje, essa polêmica deu lugar a uma cooperação, com os dois lados trabalhando juntos para desvendar o tema.

Dessa união, estão saindo muitas das respostas novas das principais questões sobre o comportamento humano.

Mesmo assim, em muitos aspectos, a individualidade humana segue sendo um mistério.

 


Gostou deste artigo?

+ Leia mais: Os 5 experimentos psicológicos mais reveladores da natureza humana

+ Leia mais: Até que ponto os pais influenciam os filhos?

+ Curta nossa página no Facebook